Resposta a Preguntas Frequentes

19-03-2010 22:13

O que é Reiki?

Reiki é uma terapia baseada na canalização da energia universal (REI) através da imposição de mãos com o objectivo de restabelecer o equilíbrio energético vital (KI) de quem a recebe, podendo eliminar doenças e promover a saúde.

 

Quais os benefícios de um tratamento Reiki?

Reiki é um sistema natural de harmonização e reposição energética que permite manter ou recuperar a saúde, não só física mas emocional e psíquica. É um método poderoso para redução do ‘stress’ e pode ser encarado como um método para reaver a qualidade de vida.

Reiki funciona como um instrumento que transforma energias nocivas em benéficas e dissolve bloqueios energéticos.

Basicamente o Reiki tem a potencialidade de:

            - Aliviar dores físicas

            - Reduzir a ansiedade e o stress, produzindo relaxamento

            - Promover a auto-estima e beneficiar estados depressivos

            - Fortalecer o sistema imunitário

            - Resolver problemas de insónia

            - Tratar as causas das doenças

            - Ajudar a eliminar vícios

            - Ajudar ao crescimento espiritual

            - Facilitar intervenções cirúrgicas e posterior cicatrização, se aplicado antes da cirurgia.

A energia Reiki possui uma ‘inteligência’ própria e encaminha-se para o ponto onde é mais necessária, apesar de ela ser tanto mais pura quanto mais trabalhada e elevada for a vibração energética do terapeuta.

 

Como é realizado o tratamento ?

O tratamento é efectuado com o terapeuta a impor as mãos sobre o paciente. O paciente só tem que descalçar os sapatos, deitar-se na marqueza, relaxar e receber a energia que lhe é passada. Em geral cobre-se a pessoa com um cobertor leve, já que é comum ela adormecer durante o tratamento e o seu corpo arrefecer. A imposição das mãos é feita através do cobertor. Assim o terapeuta funciona como um canal para a energia Reiki, permitindo que esta seja canalizada através das suas mãos até onde o paciente mais precisa. As mãos são aplicadas em vários locais do corpo, quer sejam eles standard ou intuídos pelo terapeuta, e são mantidas cerca de 3 minutos em cada posição. É possível conversar com a pessoa durante o tratamento, por exemplo induzindo exercícios de visualização, mas a maior parte das vezes todo o tratamento é feito em silêncio, com maior concentração do terapeuta.

Em pessoas idosas ou que por outros motivos tenham dificuldades em deitar-se, é possível fazer a aplicação com a pessoa sentada.

A existência de partes do corpo engessadas ou ligadas não constitui nenhum impedimento para a aplicação deste tipo de tratamento.

 

O que se sente?

Algumas pessoas relatam sentir várias sensações como calor, frio, pressão, sonolência, vibrações ou outras. Estas sensações são devidas à energia Reiki a chegar ao corpo e à aura de quem a recebe. Ao receber a energia Reiki são reparadas deficiências energéticas do paciente, bem como reparados e abertos os canais energéticos (meridianos), removendo bloqueios.

 

Quem faz Reiki tem poderes especiais ?

Não. Todos somos canais de energia, cada um de nós só escolhe trabalhá-la mais ou não. O único poder de um curador está na força da intenção que põe ao fazer um tratamento: pedir a cura com todo o seu ser está nas mãos do curador, mas decidir se a pessoa vai curar-se não o está de todo !

Para ter cada vez mais esta força, o curador precisa trabalhar a sua energia diariamente e ter hábitos de vida o mais harmoniosos possível, isto é, cada vez mais em sintonia com a energia que canaliza. Ao curador é exigido cuidar intensamente de si próprio em corpo e espírito, mantendo-se o mais possível em contacto com as suas emoções e trabalhando-as. Esta é uma escolha que qualquer de nós pode fazer em qualquer momento da sua vida, assim ela nos pareça o caminho a seguir.

Pode dizer-se que um curador terá necessariamente que usar em si próprio todos os dias as técnicas que usar para tratar dos outros, e mesmo recorrer a outros curadores para tratar de si. Nenhum saber nos é facultado para que nos isolemos dos demais e muito menos para que nos sintamos superiores ou mais iluminados que os outros, mas sim para que o partilhemos. 

 

Reiki pode ser considerado uma ciência?

O Reiki não é uma ciência nem um acto médico.

Reiki é considerada como uma terapia alternativa a qualquer tratamento convencional.

Não há relato nem conhecimento de nenhum caso em que o usa da energia Reiki tenha causado algum mal a quem a recebe.

Existem diversos estudos que comprovam a eficácia da aplicação desta energia. Pode consultar vários destes estudos na ‘NetMed’, publicações e artigos médicos na Internet.

 

Reki pode ser considerado um coadjuvante da medicina convencional ?

Completamente !

A medicina ocidental trata o corpo via medicamentos ou intervenções cirúrgicas de modo a atacar directamente os sintomas ou as causas das doenças, depois de estas estarem instaladas. Num tratamento Reiki, removem-se os bloqueios energéticos que estão na origem das doenças, portanto é uma técnica que trata a causa e não o efeito. Depois de se limpar o corpo energético de energias densas, então é possível que a saúde seja restabelecida naturalmente, quer seja por si, quer seja com ajuda médica actuando directamente no corpo físico, o que muitas vezes é inevitável e absolutamente necessário. 

Com uma terapia energética, é possível impedir doenças de virem a manifestar-se no corpo físico só porque se limpam os corpos extra-físicos.

 

Reiki é uma religião?

Reiki não é uma religião, nem está ligado a nenhuma religião apesar de ter forte ligação aos princípios taoístas.

Qualquer seguidor de qualquer religião pode praticar Reiki. Qualquer pessoa que não siga nenhuma religião também o pode fazer.

A cura usando Reki não é feita pelo terapeuta de Reiki, sendo essa pessoa unicamente o canal para a energia universal chegar de forma mais eficaz e intensa ao receptor.

 

Qual é a história de Reiki?

A prática de Reiki é semelhante às práticas budistas de canalizar a energia universal pela imposição das mãos.

Esta prática foi redescoberta no Japão no início do século XX pelo Dr. Mikao Usui e introduzida nos Estados Unidos da América pela Sra. Hawayo Takata em 1940 e a partir daí disseminada por todo o ocidente.